Google+ Badge

sexta-feira, 29 de março de 2013

Os judeus, a peste negra na Europa, o bacalhau e o jogador de futebol brasileiro



Shabbat is finally here, jump for joy!



*Por Jessika G. A. Smuts, de Tel Aviv, especial para o blog. 



Hoje ao ligar a TV em uma reportagem da televisão finlandesa vejo a história de dois jovens jogadores brasileiros que foram morar na Finlândia para jogar futebol e como não existe futebol profissional naquele país, os mesmos tiveram que trabalhar em uma indústria produtora do delicioso bacalhau. 

Um dos jovens jogadores, como bom brasileiro logo percebeu que as mulheres finlandesas motivadas pelas tradições e devido ao frio não tinham o costume de se cuidar na área da beleza e estética, e mais que depressa o jovem levou a sua noiva brasileira da cidade de Santos que é cabeleireira e esteticista para dar um trato nas mulheres finlandesas.
 
Sucesso total, hoje as garotas daquele país estão mais lindas e felizes. 


O jogador brasileiro uniu o útil ao agradável, casou e esta muito feliz também. 


Ai percebi que os judeus e os brasileiros tem muito em comum e estão em todos os países do mundo. É óbvio que por motivos diferentes, mas ambos estão espalhados pelo mundo inteiro. Não deve ter um lugar no mundo que não tenha um brasileiro morando. 

Tem brasileiro e judeu até no Irã.



Compulsando um livro de história percebi também que apesar de culturas diferentes judeus e brasileiros tem mais em comum. Tais como os cuidados com a higiene pessoal, judeus por motivos religiosos lavam as mãos ao se levantar, antes das refeições e tomam banho sempre, brasileiros também cuidam muito da higiene lavando as mãos e tomando banho, talvez por motivos climáticos, coisa estranha para muitos europeus.

Quando da realização da Copa do Mundo de futebol na França, os brasileiros que iam aos restaurantes não suportavam o cheiro dos garçons franceses que não tomam banho... kkk 

Putz!!! 


Mas voltando no tempo:

Em 1347 chegou a Inglaterra notícia de uma doença terrível e incurável que estava se espalhando a partir da Ásia, através do Norte de África e da Europa. A Peste Negra atingiu Londres no outono de 1348. Ninguém sabia como parar a doença. Durante os próximos 18 meses, ele matou a metade de todos os londrinos - talvez 40 mil pessoas. 

Havia tantos mortos que os londrinos tiveram de cavar valas comuns (trincheiras grandes para muitos corpos). Muitas delas em Royal Mint, perto da Torre de Londres. Em algumas das trincheiras, os corpos foram empilhados em cima uns dos outros, até cinco de profundidade. Corpos das crianças foram colocados em espaços pequenos entre adultos. 


A Peste Negra matou milhões de pessoas, possivelmente metade da população do mundo conhecido.

Porém, a peste negra não curtia judeu e a maioria desses passava ileso pela doença.

Qual motivo? Bruxaria? Aliás caçar bruxos nessa época era a moda, então vamos caçar judeus pois eles são bruxos e não pegam a doença.

Não pegavam a doença por causa da higiene, lavando as mãos ao levantar, antes das refeições e tomando banho ao visitar os mortos entre outras coisas. 

Assim, os teóricos da conspiração da época acreditavam que os líderes da comunidade judaica tinham planejado um esquema para envenenar a cristandade. Mais de 200 comunidades judaicas foram exterminadas por essa crença.

E só pra finalizar, quem não ouviu ai no Brasil?

-Filho vem tomar banho.

E a resposta em tom de brincadeira:

- Mas não é sábado.

É que pelas leis judaicas, o judeu deve se banhar para as festividades religiosas do Sabbath.

Nenhum comentário: