Google+ Badge

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Grupos que hostilizam Yoani lembram os "camisas negras" da Itália fascista





Os grupos de militância esquerdopata que hostilizam a blogueira Yoani Sanchez, impedindo-a inclusive de falar, de participar de debates, de lançar seu livro e até ameaçando com agressões físicas, como aconteceu na noite desta quinta-feira em São Paulo, têm um precedente histórico: quando a Itália foi subjugada ao regime fascista, o ditador Benito Mussolini estimulou a criação dos "camisas negras", ou a "Milícia Voluntária para a Segurança Nacional". 

Em geral composto por jovens exaltados, esses grupos perseguiam pessoas ou instituições que se opusessem ao governo. Pessoas eram perseguidas e atacadas na ruas, jornais independentes foram empastelados, empresas destruídas, e até restaurantes frequentados por opositores do regime acabaram incendiados.

O governo Mussolini não impedia nem punia as ações até criminosas dos "camisas negras"

Os grupos que hostilizam covardemente a jornalista Yoani foram criados a pedido da embaixada de Cuba, que país que se sente ameaçado pela luta por democracia desenvolvida solidariamente pela blogueira.

A embaixada pediu ajuda ao PT e partidos de "esquerda" para difamar e hostilizar a visitante ilustre, durante sua presença no Brasil. O governo federal nada fez para impedir isso, nem sequer acionou a Polícia Federal para garantir-lhe o direito de ir e vir - direito, aliás, negado a ela e ao povo cubano pela ditadura castrista, a mais longeva da América Latina.

Aqui o Governo Federal faz vistas grossas para a atuação da embaixada cubana que interfere na "cara dura" nas coisas do Brasil. E o partido da Presidenta se coloca a serviço de uma potência estrangeira para fazer baderna inclusive utilizando funcionários públicos em horário de trabalho.


Adaptado e chupado do texto de Claudio Humberto.

Nenhum comentário: